Rede de Lojas economiza em horas extra com RFID

Loja Ki Barato aplicou RFID

Quem aplicou a RFID?

A Rede de lojas KiBarato que faz parte do Grupo Center, fica localizada em Ivaiporã no Paraná e trabalham com calçados e confecções. Recentemente eles decidiram inovar e apostaram na tecnologia de Identificação por Rádio Frequência (RFID) da iTAG. 

Soluções RFID

Veja uma de nossas aplicações (Clique Aqui)

Procurando uma maneira de agilizar determinados processos internos na empresa, a tecnologia RFID da iTAG foi a solução ideal para a realização desse projeto.  

De acordo com o gerente de tecnologia do Grupo Center, Hans Ricken, após a implementação da solução, houve mudanças significativas nos processos como por exemplo a diminuição no intervalo entre a realização de um inventário e outro, além de um maior controle de estoque, otimizando os processos e reduzindo os custos com as horas extras, o que resultou na liberação de funcionários para realizarem outras tarefas mais rentáveis para empresa  

A princípio a solução que foi implantada apenas para a rede de lojas Ki Barato que comercializa mais de 5.000 peças por mês, impressionou com o desempenho, e a solução será estendida para as demais lojas do grupo   

 

O maior desafio deste projeto foi etiquetar todas as peças da loja no prazo de uma semana, operação que envolveu a colocação de 32 mil etiquetas novas nos produtos. E para Ricken, uma das atividades mais intensas na implantação da tecnologia foi o treinamento da equipe “porque alterou totalmente a rotina de etiquetagem e venda, exigindo um cuidado muito grande com as novas etiquetas”  

E ainda segundo ele, o maior ganho foi a economia de tempo em processos como a contagem de estoque, que se tornou muito mais ágil e rápida, diminuindo até a quantidade de colaboradores envolvidos, já que do modo antigo com o código de barras os inventários eram feitos uma vez por ano devido a necessidade de uma equipe de 20 pessoas e mais de 12 horas para todos os itens serem checados.

“[…] A leitura era feita um a um pelo leitor de código de barras e, ao final, quando era impresso o relatório de divergência, as buscas pelos produtos também eram realizadas manualmente e muitos itens não eram encontrados […] E agora com a RFID este processo se tornou muito mais rápido, prático e ágil, atualmente se utiliza apenas quatro funcionários com dois coletores de dados RFID” E a operação para a leitura de um estoque com 30 mil itens que antes era feito em 12 horas, uma vez por ano, agora leva apenas 5 horas. 

 

Comentários 

 

“Outra vantagem é a possibilidade de carregar a base de produtos no coletor e procurar somente os itens em divergência, ativando o localizador, no coletor RFID, eliminando assim a busca manual, o que aumenta muito a taxa de sucesso da contagem, não gerando furos no estoque”, comemora Ricken.

 

Ainda segundo ele “Ao enviar as etiquetas para a impressão, o EPC é atrelado ao estoque da mercadoria, gerando assim um ID para cada item, não podendo ser impressas mais etiquetas do que a quantidade em estoque” 

Como a identificação do produto se torna única, explica o executivo, diminuímos as chances de um item ser etiquetado no lugar de outro e eliminamos a possibilidade de duplicidade, pois cada EPC corresponde a só um item em estoque, considerando assim que não há como fazer vendas sem a etiqueta. 

“Agora, com RFID, torna-se necessário apenas um clique para ler as peças desejadas em grandes volumes, por exemplo, meia dúzia, uma dúzia ou uma dezena de itens ao mesmo tempo, por meio de readers de mesa, sem a possibilidade de duplicidade do item ou mesmo peças escondidas dentro de outras ou de caixas” conclui.

 

Veja uma de nossas aplicações

 

Acompanhe as nossas Redes Sociais:

Facebook

Instagram

LinkedIn

YouTube

 

Até a próxima : )