Rafik Jeans aplica RFID em 50 mil peças

A empresa do Espírito Santo controla a produção de mercadorias também em São Paulo e Minas Gerais, além de vendas em 19 cidades, incluindo Bahia e Goiás

Por Edson Perin

22 de outubro de 2018 – A Rafik Jeans, de São Gabriel da Palha (ES), adotou a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) em sua produção de jeans, na sede da empresa, e em outras unidades fabris em São Paulo (calçados), Minas Gerais (camisas) e Colatina (ES), onde fabrica peças de viscose. “Nossos produtos são comercializados em 19 cidades de Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Goiás e São Paulo”, afirma Felipe Pelissari, diretor da companhia.

Com um movimento de 50 mil peças por mês, a Rafik investiu em RFID para obter agilidade e controle de suas mercadorias. “Trabalhamos sempre com produtos de altíssima qualidade aliados a preços bastante competitivos, mas sempre buscando o que há de mais atual no mundo da moda, assim, levando para os nossos clientes muito além de produtos”, acrescenta Pelissari.

Loja da Rafik Jeans

O processo de contagem e separação era totalmente manual e sujeito a erros, antes da identificação por radiofrequência. “Com a implantação da RFID, tivemos uma excelente melhora na produtividade diária, além de reduzir drasticamente os erros de contagem e separação de produtos”, diz Pelissari.

Com a RFID, a empresa ganhou agilidade e exatidão nas contagens e separação de pedidos para lojas com melhoria de 50% em eficiência. O bom resultado está inspirando futuros investimentos: “a instalação de portais em nossas lojas para efetuar vendas usando RFID e também melhorar a comunicação de reposições”.

A Rafik Jeans contratou a iTag RFID Etiquetas Inteligentes para implantar o projeto de RFID em suas fábricas. Os ganhos, nas contas de Pelissari, foram mais agilidade no processo de contagem, com o controle exato do estoque por modelos, tamanhos e cores; além da redução drástica de erros humanos na separação e envio de produtos a lojas.

Segundo o executivo da Rafik Jeans, a experiência de implantar RFID na companhia foi muito positiva. “Os desafios foram a mudança de etiquetas em todas as unidades, visto que isso levaria um certo tempo e trabalho, mas conseguimos através do nosso inventário de estoque identificar os produtos e fazer a substituição loja por loja, até finalizarmos as 19 unidades”.

A solução implantada da Rafik Jeans conta com um portal RFID instalado na expedição para fazer as movimentações logísticas da empresa, tanto entrada como saída. O ERP Virtual Age, que a companhia já utilizava, está pronto para fazer as movimentações via RFID. “A iTag”, completou, “nos deu total suporte e sempre está de pronto atendimento. Com isso, foi uma grande facilidade para nós e, sem dúvida, agilizou todo o processo de mudança”.

Felipe Pelissari, da Rafik Jeans

A Rafik Jeans utiliza um portal com um leitor Acura Edge-50 e quatro antenas para fazer a conferência dos produtos, cruzando a informação com o pedido lançado. Assim, o sistema faz toda a tratativa das informações em aproximadamente 10 segundos e valida se o produto pertence ou não ao pedido.Atualmente, a companhia utiliza a etiqueta iTag 95-50 com chip EM 4124. Nenhuma tag é reaproveitável, porque o projeto prevê a rastreabilidade de toda a cadeia desde o momento da impressão da etiqueta até a chegada ao cliente final.

No início da implantação, o maior desafio era encontrar a configuração e disposição de antenas perfeitas para que qualquer produto colocado dentro do portal RFID fosse lido de primeira. “Após analisar as melhores configurações dos leitores e a forma que o cliente colocava as peças nos fardos, conseguimos alinhar todos os pontos necessários para que ocorresse tudo corretamente”, explica Sérgio Gambim, CEO da iTag.

A solução utiliza o iTag Monitor, ferramenta que administra as leituras RFID fazendo com que a informação chegue no formato que o ERP consiga entender e traduzir em produtos, de forma correta. Esta ferramenta foi desenvolvida pela iTag. Na integração de impressão está sendo utilizada uma dll de codificação que faz toda a parametrização no padrão UHF da GS1.

Matéria publicada pelo RFID Journal Brasil.