Roupas brasileiras podem ser rastreadas desde a China

Roupas brasileiras podem ser rastreadas desde a China 2

A iTag RFID Etiquetas Inteligentes e a empresa Printronix, de Taiwan, fornecem etiquetas de identificação por radiofrequência (RFID) para marcas fabricadas na Ásia e vendidas no Brasil. Assim, as peças de vestuário podem der rastreadas desde a fabricação, em países como a China e o Vietnã, até chegarem ao Brasil e serem vendidas aos consumidores finais.

Todo o processo de escoamento das mercadorias, passando pelos portos da Ásia até a chegada no Brasil, poderá ser rastreado. Além disso, a contagem de peças no momento do desembarque dos produtos será otimizada e terá seu custo reduzido, devido ao uso da tecnologia de RFID para controle das peças fabricadas.

Roupas brasileiras podem ser rastreadas desde a China 3

Sérgio Gambim, CEO da iTag, e o representante da Pritronix (dir.)

A estratégia de comercialização no mercado externo posiciona a iTag no âmbito da distribuição e impressão de etiquetas inteligentes em toda a Ásia, a partir de Taiwan. Para isso, a companhia brasileira conta com o apoio da Printronix, empresa global de impressão industrial de missão crítica, por meio da Maxhill Co. Ltd.

Pela parceria, será criado um birô de impressão RFID em Taiwan. As empresas iTag e Maxmill, representante da Printronix, serão responsáveis pela impressão e serialização das etiquetas RFID para produtos fabricados em outros países, por empresas que utilizam a solução RFID da iTag no Brasil.

O serviço se destina aos clientes que desejam adotar a tecnologia RFID, mas que têm parte de sua produção realizada fora do território brasileiro. A fabricação acontece sob demanda, de acordo com a necessidade do cliente, atendendo as crescentes necessidades do mercado, com economia e agilidade. As etiquetas prontas passam a ser entregues em qualquer destino de fabricação do cliente, sendo Ásia ou Europa.

O sistema RFID utiliza ondas de rádio 915 MHz e traz diversos benefícios aos negócios, como aumentar a produtividade, controlar a rastreabilidade do trajeto do item na cadeia de processos, gerir o inventário com mais facilidade, evitar extravios, reduzir o desperdício e simplificar a logística.

“A parceria da iTag com a Printronix trará tranquilidade para quem realiza operações em outro continente, porque a linha de impressora RFID T6000 já está homologada na solução da iTag, assim como toda a equipe de Taiwan foi treinada para administrar as informações recebidas do Brasil”, explica Sérgio Gambim, CEO da iTag.

Para Gambim, a parceria estratégica representa um grande passo para oferecer aos clientes iTag o controle de sua produção já na fábrica, estando etiquetadas na origem com RFID, o que deve ajudar na conferência das invoices em trânsito.

Com vários casos de sucesso no Brasil, a iTag foi pioneira no país na geração do código padrão EPC Gen2, da GS1. Há mais de 40 anos, a Printronix oferece serviços que possibilitam a aplicação de RFID. Para a iTag, a Printronix passa a ser uma parceira chave no mercado internacional.